3 Sites de Museus de Calçados que você precisa conhecer!

Lembra que semana passada falei aqui sobre 5 sites incríveis de moda que você precisa conhecer, na minha modesta opinião? Pois bem, o post de hoje, é de certa forma, uma continuidade destas dicas, porém desta vez, focando nos calçados.

PicMonkey Collage

 

Existem por aí, espalhados pelo mundo, muitos museus que se dedicam apenas a explorar a história e a evolução deste importante artefato. O calçado, com o tempo foi evoluindo tanto, ganhando tantas variedades nos mais diversos aspectos, como: modelagem, design, gênero, estilo, materiais etc. E… justamente por isso, é possível encontrar tanta informação disponível nos sites destes museus. Naturalmente, que conferir ao vivo é uma experiência única, mas como nem sempre isso é possível, a internet trata de nos ajudar.

Portanto, se você é estudante, fã ou profissional da área de sapatos precisa conhecer alguns dos museus de calçados mais conhecidos do mundo:

BATA MUSEUM: talvez o mais famoso museu de calçados do mundo, localizado na cidade de Toronto no Canadá, o acervo conta com uma infinidade incrível de modelos, uma coleção com cerca de 10.000 pares (SIM!), contando mais ou menos 4.500 anos de história desta peça tão fundamental em nosso guarda roupa atual, desde os pés de lótus das chinesas até as glamourosas plataformas anos 70. Ah… é possível baixar os catálogos das exposições e aprender ainda mais o assunto!

SHOE MUSEUM LOUSSANE: localizado em Loussane, na Suiça, este museu tem cerca de 30 anos. Destaca-se por uma visão mais arqueológica, enfatizando a intensa relação do couro e a criação do calçado, evidenciado por meio de reconstruções de calçados do período Neolítico. São cerca de 400 objetos também outros acessórios e ferramentas. O site permite que o visitante aprenda uma série de informações sobre normas técnicas do couro, arqueologia e modelagem.

BALLY SHOE MUSEUM: foi criando na década de 1940 na cidade de Schönenwerd, na Suíça, começou apenas como um acervo particular e hoje é tido como um dos melhores museus do mundo pelo guia de viagens Michelin. Atualmente, preserva uma coleção de 3.000 a.C., variando de pinturas a fragmentos de sapato. Porém, o mais interessante deste site é que há uma “shoepedia“, com dicas de cuidados com os calçados, glossário de modelos/modelagens, materiais e como são construídos.

Vale destacar que, não são apenas estes museus de calçados que existem por todo o mundo, há ainda vários outros tão importantes e curiosos quanto os que apresentei aqui. Mas, estes são os que, sob a minha curadoria trazem maior variedade de informações para quem se gosta do tema e quer aprender mais. Ou seja, tudo isso, é apenas o meu olhar sobre o tema. Vale visitar cada um deles pessoalmente e virtualmente!

Calçados de Casamento: Modelos e Modelagem – Scarpin

No último post sobre calçados de casamento falamos sobre a importância da segurança e conforto na hora da escolha do calçado perfeito para noivas. A partir de agora, a ideia é te trazer inspirações de modelos e modelagens, ou seja, mostrar opções. Mas, antes vamos entender o seguinte: a diferença entre modelos e modelagem.

  • Modelos: tipos diferentes de calçados, por exemplo: scarpin, sandália, peep toe, ankle boot, d’orsay etc.
  • Modelagem:  entre modelos, eles se diferenciam dentro de um mesmo tipo, ou seja, scarpin de salto alto ou baixo, fino ou grosso, sapatilha bico fino ou bico redondo, bota de cano curto ou cano longo, sandália de tira ou tiras cruzadas etc.

1MODELOS E MODELAGENSPicMonkey Collage

Por isso, levando em conta todas aquelas informações (cerimônia, estilo, hábitos, segurança e conforto)  que já tinha citado anteriormente, que são fundamentais para ajudar na escolha de um calçado adequado, hoje destaco aqui modelagens diferentes de scarpin.

Imagine que você já pensou com todo cuidado, sobre todos os itens citados acima e já se decidiu que o modelo será um scarpin, mas está na dúvida de qual modelagem optar. Então, aqui vão algumas ideias:

 

scarpin'1PicMonkey Collage

O scarpin é um calçado de modelagem clássica, que de modo geral, cabe bem com qualquer coordenação de looks e oferece maior segurança às noivas, em relação à uma sandália, por exemplo.

3scarpePicMonkey Collage

O interessante do scarpin é que por ele já ter uma imagem tradicionalmente mais sofisticada, quando escolhido para ser o calçado da noiva, vale a pena se atentar para acabamentos que adicionem essa informação de nobreza, como forrados de rendas, bordados de canutilhos, detalhes no centro do pé como flores, ou até mesmo acrescentar mais personalidade e autenticidade, com modelos coloridos – que contrastam com o vestido- e acabamentos metalizados.

Já no que se refere a modelagem, é importante pensar na maneira como normalmente seu pé se comporta com scarpins, isso significa: observar se seu pé é mais gordinho e incha com mais facilidade ou se você tem algum tipo de calosidade ou joanete que costumeiramente te incomoda. Nestes casos, uma boa opção são modelos com cabedal mais arredondado. Outra dica que vale observar é a sua segurança em relação ao salto, o quanto você geralmente se sente mais ou menos segura e confortável, assim uma boa escolha são os saltos tipo cone, bloco ou quadrado de altura média.

Mas, vale prestar maior atenção, principalmente, para a altura e tipo do salto. Isso porque você terá que analisar os seus hábitos e seu estilo versus a modelagem eleita, para ver se a escolha será a mais adequada para as suas necessidades.

Tênis Jogging Rosé

Não faz muito tempo falei aqui sobre a tendência dos tênis jogging, que nada mais é do que aquela modelagem com cara de tênis de academia, com inspiração street wear anos 90. Porém, dessa vez, com informação super atualizada de moda, solado branco e com o uso da cor do momento no cabedal, que é o nude rosé.

Slide1

 

Dá uma olhadinha nas sugestões:

 

Slide1

  1. Modelo de tênis jogging com solado todo branco, cabedal nude rosé em lycra, com detalhe frontal e próximo ao cordão envernizado e parte traseira envernizado texturizado tipo croco, da Anacapri.
  2. Modelo de tênis jogging com solado inferior e biqueira pretos, solado superior branco, parte lateral e frontal do cabedal em material rendado com acabamento tipo debrum nude rosé, parte traseira em nude rosé claro liso e cadarços da mesma cor, da Bebecê.
  3.  Modelo de tênis jogging com solado inferior e biqueira nude, solado superior branco com detalhe metalizado de friso no calcanhar, cabedal rosé liso e detalhes texturizados na parte superior da gáspea e laterais e cadarços nude rosé, da Dakota.
  4. Modelo de tênis jogging com solado inferior e biqueira bege, solado superior branco, cabedal de couro nude rosé, detalhes da gáspea e laterias em material acamurçado, laterais com furinhos e cadarços nude rosé, da Farm no Netshoes.

 

Este modelo de tênis incrementa ainda mais uma produção básica ou qualquer outra eleita, fácil de se coordenar com outras peças, dando um ar mais minimalista, com suavidade, delicadeza e ultra feminino por conta da cor e também, acrescentando informação de moda.

Calçados de Casamento: Segurança e conforto

Nesta série especial já falamos de vários fatores  que são importantes de serem analisadas com cuidado para que a escolha do seu sapato de noiva seja realmente perfeita.

Depois de você já ter pensado sobre o local onde será a cerimônia, o seu estilo e seus hábitos é fundamental prestar um pouco mais de atenção sobre a segurança e o conforto do calçado, ou seja, pense que você terá que se locomover durante a cerimônia e a festa, vai andar para cumprimentar os convidados, vai querer dançar e isso tudo significa que; impreterivelmente vai ficar em pé por um bom tempo, muitas horas. Por isso, é importante que o sapato eleito te ofereça conforto. Pense que se você levar em consideração tudo isso que acabei de comentar, você irá se poupar, minimizando a possibilidade de deixar seus pés doloridos e também não te traga risco (queda ou ferimentos).

 

newestilo noiva1PicMonkey Collage

Assim sendo, é essencial  você analisar quais são seus hábitos de calçados, porque desta forma você já irá minimizar alguns acidentes, pois você já estará adaptada a modelagem que escolher.

Pense comigo: uma sandália muito alta vai dificultar o seu caminhar, podendo enroscar o salto na barra, rasgar o vestido, te machucar, etc. Ou então, uma sandália muito recortada e alta, de poucas tiras e salto fino, como algo que você não esteja habituada a usar,  vai jogar seu pé muito para a frente, ficando desconfortável e feio nas fotos, por exemplo.

ioPicMonkey Collage

 

Portanto, vale reforçar aqui: experimente, experimente e experimente até cansar o calçado, pois somente assim você poderá perceber onde ele poderá te dar problemas, se comporta bem a sua anatomia de pé ao design do sapato. Ah… e saiba também: escolha o seu número exato, nada de menor ou maior, porque isso é cilada na certa!

Uma boa dica é: escolha por um calçado de salto mais robusto,  um modelo meia pata que te ofereça segurança ou até um modelo que você já tenha em bom estado (seja qual for) , que se sinta segura e confortável, assim evitará problemas, pois você já sabe como será caminhar, já está habituada ele.

Calçados de Casamento: Hábitos

Lembra dos posts anteriores que falei sobre a cerimônia e o seu estilo? Tudo isso já começou a ajudar você a pensar com mais cuidado na hora de escolher o sapato perfeito.

Pois bem, agora é o momento de fazer uma outra análise acerca do que realmente está incorporado ao seu estilo, ou seja, quais são seus hábitos? Isso significa você parar para pensar no que você está acostumada a usar no seu dia a dia a respeito de calçados.

 

PicMonkey Collage

 

Independente das suas atribuições diárias, na hora de montar a sua produção, no dia a dia, certamente você faz uma rápida reflexão de quais atividades terá que realizar e assim, na hora de montar seu look você pensa se o calçado que irá escolher para usar vai estar adequado e adaptado aos seus hábitos e atividades. Ou seja, se você tem o costume de fazer tudo com um sapato de salto mais grosso ou uma sapatilha e sente-se bem assim, esse é o seu caminho, tente levar essa informação em conta na hora de escolher o modelo do seu sapato de noiva.

 

PicMhabitponkey Collage

É melhor, nestes casos, você estar e se sentir segura com um calçado que já faz parte da sua rotina, do que se sentir extremamente insegura com uma modelagem que não tem nada a ver com a sua personalidade e que está completamente equivocada para o local onde será a cerimônia. Pense nisso!

Modelagem de Peep Toe

Você tem acompanhado os posts anteriores de modelagem? Sabe o motivo desta pergunta? É que estes posts vão te ajudar a entender melhor todo o desenvolvimento da modelagem de um peep toe, é como se fosse a base para que você possa compreender melhor as etapas. Por isso, te indicaria ler modelagem de scarpin e oficina de modelagem de calçados (parte 1, 2 e 3) para ler.

 

modelagemPicMonkey Collage

 

O peep toe se caracteriza por ser um calçado de modelagem clássica, de cabedal com abertura frontal deixando dois ou três dedos aparentes e tradicionalmente todo o restante do calçado fechado, semelhante ao scarpin. Com a evolução das modelagens e o design de calçados, muitos modelos de peep toe ganharam versões com saltos extremamente altos e para equilibrar o calçado, foram adicionadas meias patas ou modelagens amalfi (meia pata sutil) na parte frontal inferior.

 

forma-para-calcados-feminino-modelo-sandalias-com-salto-D_NQ_NP_10209-MLB20026284869_012014-F

 

Antes de começar a contar sobre o desenvolvimento da modelagem em si do peep toe, vale lembrar que: em geral, este modelo de calçado é de salto, variando de altura (médio e alto) e tipos (fino, cone, bloco, quadrado etc), portanto na hora de iniciar todo o trabalho, lembre-se que é importante escolher uma fôrma de salto e que a angulação escolhida vai variar de acordo com essa fôrma.

Depois de eleita a fôrma inicia-se todo o processo de modelagem, que é de empapelamento, desenhar na própria fôrma o projeto do calçado e transferência do molde.

O resultado final do cabedal de um peep toe ficará assim:

 

li

 

Transferência de molde e correções.

 

20150227_121955

Recorte do molde por espelhamento.

 

lo

Em muitos casos, por conta do ângulo da fôrma, já que se trata de um calçado de salto,  para uma melhor adequação do cabedal à fôrma e futuramente ao pé, a separação da parte traseira. Ou seja, o cabedal que é uma peça única é recortado e posteriormente costurado e conformado na fôrma.

 

Muitos modelos de peep toe são confeccionados em uma peça única de cabedal, no entanto quando realizados com essa separação de peças e costurados, fazem com que seja um calçado de melhor anatomia. Porém é importante, falar também, que nessa hora, é indispensável a adição de margens de costuras nestas peças, cerca de 5mm para que o calçado que foi feito em uma determinada numeração não acabe ficando apertado.

 

peeptoeScreenshot_2017-07-08-22-47-25

Imagem do instagram de: Shoes of Prey

 

Outra observação válida é, muitos peep toes são desenvolvidos de uma maneira um pouco diferente, separando a gáspea do cabedal. Isso significa que durante a modelagem as peças são construídas e recortadas separadamente e depois unidas no processo de costura e conformação.

Calçados de Casamento: Estilo

Depois de você já ter em mente onde será a cerimônia e todas as informações, é a hora de analisar o seu estilo.

A partir do momento que você já tem um local definido, você já sabe o que pode optar ou não em termos de calçados. No entanto, mesmo assim, nem sempre o calçado que você estiver desejando será o mais perfeito. E… por que isso?

estilofestaPicMonkey Collage

Porque é importante você analisar o que mais cabe ao seu estilo e às suas rotinas, ou seja:

  • Qual é a sua personalidade e estilo?
  • De que você gosta? O que combina mais com você?
  • Você está acostumada a usar salto fino?
  • Sabe de fato andar em um salto alto?
  • Normalmente, quais são suas modelagens preferidas?

estilonoiva2PicMonkey Collage

Por isso, pense com cuidado no estilo do calçado eleito e se ele, de fato, se encaixa com a sua personalidade. E… mais, acredite que, em muitos casos é mais adequado você optar por uma sapatilha e aquilo se aproxima de quem você é em essência, do que um modelo com salto muito alto ou uma modelagem pouco confortável às suas necessidades.

 

 

Oficina de modelagem de calçados – Parte final

Hoje vamos falar aqui da etapa final da Oficina de Modelagem de calçados que participei na Oficina da Gasp, no post anterior expliquei como fizemos para desenvolver na fôrma empapelada o molde e a partir deste ponto vou contar como iremos “planificar” os moldes.

 

instagramfoto

FOTO: OFICINA DA GASP/ TRANSPORTE DA MODELAGEM

 

Ou seja, depois de já termos desenhado nas fôrmas é hora de transportar e fazer as correções necessárias.

Todo esse processo exige cuidado e delicadeza! Tenha em mãos:

  • Estilete
  • Papel kraft
  • Régua
  • Curva francesa ou compasso
  • Lápis ou caneta

Como começar? Eu diria o seguinte: pegue o estilete e vá removendo parte a parte, transferindo essas peças para o papel kraft, mas saiba que é importante dobrar ao meio este papel para que você possa espelhar algumas partes.

 

Qual o passo a passo dessa transferência?

  1. Gáspea dianteira: 

Observe a parte em fita crepe (branca) na imagem, é a parte que foi transportada da fôrma para a realização desta parte do molde (gáspea dianteira). Neste processo é comum, para quem está começando, surgirem problemas no momento deste transporte, ou seja, aparecerem rugas e rasgos. Porém, não se desespere! Aqui de qualquer maneira, você terá que fazer alguns ajustes.

 

gaspeadobra20170718_142129pic22

 

Com o auxílio de uma régua e uma curva francesa (ou compasso) faça as marcações margens de costura. Na parte traseira e frontal do molde acrescente 0,5 cm e na inferior 2 cm. Após você já ter feito estes acréscimo, dobre o papel à esquerda da imagem para, no final espelhar este molde e ter a gáspea como uma peça única (como na foto).

 

20170725_173648gaspea

Molde da gáspea dianteira: resultado da transferência do molde da fôrma para o papel em espelhamento.

 

2.Talão:

 

talãomargens

 

O talão é parte lateral do calçado, em modelos como os tênis, por exemplo. Neste caso, optou-se por já fazer a marcação dos ilhós no molde, na parte traseira foi acrescido 0,5 cm para união das peças. Na foto, trata-se do molde de talão externo do pé esquerdo, mas para obtenção do molde do talão interno do pé esquerdo, basta espelhar. Ou seja o lado contrário deste molde resultará no talão interno.

 

3. Língua:

A função primordial da língua é proteger o pé do sistema de amarração, ou seja, dos cadarços e se caracteriza por ser a parte superior da gáspea, localizada na parte central mediana dos pés.

 

lingua

Transferência da língua da fôrma para o molde

 

Neste modelo em que desenhei na fôrma, ela foi feita separadamente, porém há modelagens que não construídas juntas ao cabedal. Quando transportei o molde da língua ela rasgou, mas é possível fazê-la planificada, corrigindo as medidas em espelhamento.

 

20170725_180245.jpg

Língua espelhada e planificada.

 

Na hora da montagem a língua deverá estar posicionada da seguinte maneira:

 

20170725_18024lingua5parabixo

 

4. Sola:

A obtenção do molde da sola é uma das etapas mais fáceis, pois trata-se apenas de contornar a fôrma.

 

20170725_173856sola

Molde da sola

 

Para montagem do calçado, quanto unirmos as peças já é possível termos uma breve ideia de como será o resultado do calçado.

 

20170726_1resultadofinal61706

Resultado final dos moldes

 

Neste  momento acho importante fazer algumas ressalvas: ter construído todos estes moldes foi um aprendizado enorme. No entanto, este é só o começo!É necessário pensarmos, que para a construção de um calçado “real”,existem peças internas de reforço, quando houver sobreposição de peças é necessário acrescentar 0,5 cm nas margens, as partes estruturais que darão maior resistência assim como partes externas.

 

Screeexemplonshot_2017-07-25-21-53-46

Exemplo de quantidade de peças de molde./ Imagem: Quoque Menorca

 

Portanto imagine que um calçado deste tipo precisará de no mínimo de 10 a 13 peças.

E para concluir devo dizer que foi um aprendizado gigantesco ter participado desta oficina de modelagem, na Oficina da Gasp. Mas, de fato, foi só um gostinho, pois o assunto é extremamente profundo e imprescindível para quem quiser atuar na área.

*Mais uma vez meu muito obrigada à Oficina da Gasp!!

 

 

 

Oficina de modelagem de calçados – Parte 2

Semana passada comecei a contar aqui a respeito da Oficina de Modelagem de Calçados que fiz na Oficina da Gasp , assim hoje dou continuidade ao assunto abordado.

18157257_806897216124268_1687632917946682201_n

Imagem: Oficina da Gasp

 

No post passado comentei sobre os passos iniciais para fazer toda a modelagem, portanto depois de já termos empapelado toda a fôrma e feito o molde da sola com todas as informações importantes anotadas (numeração, pé direito ou esquerdo etc), virão os outros passos.

 

pic

Empapelamento da fôrma e molde da sola

 

A etapa seguinte consiste em você criar a modelagem propriamente dito, é o momento de exercitar a criatividade e ver nascer o calçado. Neste caso, foi feito um modelo de calçado inspirado no tênis clássico com cadarços.

 

gasp stardust

Imagem: Oficina da Gasp/ Modelo Tênis Gasp Stardust

 

Observando o modelo já existente é hora de mão à obra! Com um lápis na mão e a fôrma empapelada vá olhando cada detalhe e desenhando na própria fôrma, colocando tudo aquilo que você acredita ser importante e realmente necessário para o desenvolvimento do produto.

 

picScreenshot_2017-07-16-19-56-37

Foto: Instagram de Marcia Quiroz

 

Imagine que cada traço de desenho que fizer na fôrma é super importante, cada destaque de costura, separação de peças, gáspea dianteira, língua, ilhós, talão etc.

Depois de já ter criado a sua modelagem é hora de “transferir” o molde do 3D, que é a fôrma, para o papel ou seja, 2D. Este é um momento em que se deve ter muito cuidado, atenção e acima de tudo, paciência.

instagramfoto

Foto: Oficina da Gasp/ Transporte da modelagem

 

Com toda calma, com a ajuda de um estilete você vai desgrudar da fôrma o empapelamento e transportar para uma folha (papel kraft, por exemplo) como a base do seu molde. O importante aqui é: tirar parte a parte, ou seja, peça à peça, porque é daqui que sairão as peças que, posteriormente servirão de base do molde.

 

20170718_142129pic

Imagem: Peça a peça do calçado

 

Depois de você já ter transferido todas as peças da fôrma para o papel kraft, onde será criado cada molde, é hora de fazer correções eventuais e/ou necessárias, acrescentar margens de costura e todas as anotações de descrição em cada peça.

Gostou? Semana que vem tem mais! Não perca, o assunto é todo o detalhamento destas peças. Combinado? Nos encontramos lá!

**Mais uma vez, deixo aqui registrado meu enorme agradecimento à Oficina da Gasp pela atenção! E também, agradeço à Marcia Quiroz pelo empréstimo de imagens, muchas gracias!

 

 

 

Calçados de casamento

Já parou para pensar em como escolher o modelo ideal do calçado de casamento? É importante levar em conta:

  • Como será a cerimônia e a festa, o local, a época do ano a ser realizada.
  • Como é o seu estilo?
  • Quais são seus hábitos? Você está acostumada a usar calçados de salto?Qual tipo de salto? Modelagens: bico fino ou bico redondo?
  • Conforto e segurança

 

a947ce32d953690acc19654a45f042db

 

Pense com cuidado na modelagem que você vai escolher, porque ninguém melhor que você sabe onde geralmente os calçados pegam, no calcanhar, em algum ossinho mais saliente que você tenha. E lembre-se: você ficará durante toda a festa com o calçado, durante longas horas, ou seja nada pior que um sapato machucando os pés.

Não perca semana que vem tem mais!