Slingback modernista

Você alguma vez já observou mais cuidadosamente para o estilo modernista? Explicando rapidamente, trata-se de um movimento que aconteceu em meados de 1920 e que se destacou no Brasil principalmente pela arquitetura de Oscar Niemeyer, dentre tantos outros nomes que se tornaram famosos. Em sua essência a escola caracterizava-se pelo uso de linhas retas, formas geométricas e o uso abundante do concreto aparente.

Mas, por que estou explicando tudo isso, se aqui só falo em calçados? Caro(a) leitor(a) a questão é que isso muitas vezes é usado como forma de inspiração até os dias de hoje por muitos designers, estilistas e profissionais criadores da área da moda.

Assim, sendo a inspiração para compor seu look flat deste domingo é um calçado que tem cada vez mais se tornado queridinho da mulherada; o slingback ganhou popularidade e é sinônimo de autenticidade na produção.

95e8a0e3ad7763ee6813e2f8762a3448slinbgak

Observe como este slingback tem característica bem evidentes do modernismo, como uma forte referência à arquitetura, formas retas limpas e espaçamentos, ou seja, o famoso vão livre.

Na hora de coordenar seu look pense em uma produção com toque artsy, já falei aqui deste estilo e que resultam em propostas bem interessantes e autênticas.

Deixe a originalidade para os pés!

Quer montar uma produção mais autêntica neste sábado? Que tal na hora de comprar um calçado buscar por opções mais originais, que saiam do comum? Essa é uma forma de você dar mais originalidade aos seus looks e assim, destacar o seu estilo próprio! Naturalmente, que é importante você observar qual, de fato, é o estilo com o qual você mais de identifica e se sente segura.

617e20d9582051616ae30e347989416e.jpg

A inspiração aqui são dois modelos que fogem de um padrão, com um design mais arrojado, observe que; ambos tem a mesma modelagem, possuem cabedal do tipo slingback, mas o grande diferencial está no tipo de salto, um com  salto esfera cromado e outro com salto do tipo grosso, porém totalmente vazado, restando apenas a estrutura, o que resulta um efeito todo inédito e especial a qualquer composição de look.

Na hora de compor sua produção, o mais importante é pensar em uma coordenação de peças mais limpa para que o calçado seja o centro das atenções.

 

O SEGREDO DO CHANEL Nº 5 – A HISTORIA INTIMA DO PERFUME MAIS FAMOSO DO MUNDO

O livro “O Segredo do Chanel Nº 5 – A História Íntima do Perfume Mais Famoso do Mundo” foi minha leitura de férias, trata-se de um livro escrito originalmente em inglês por Tilar J. Mazzeo, posteriormente traduzido para o português por Talita Rodrigues e produzido pela editora Rocco.

chaneol

Sem fazer muito mistério a capa do livro já diz tudo, destaca a história de como nasceu o famoso Chanel Nº 5. Mas, eu diria mais, este é um livro que todo mundo que estudou, estuda ou é interessado em design deveria ler, a abordagem é interessantíssima!

Tudo começa na infância de Gabriele Chanel, aos poucos vai contando sobre quem esta menina, com o tempo vai, se transformando em mulher de personalidade forte e sua obsessão em ter tudo à sua maneira, entretanto isso é só o começo. Conforme você for lendo vai descobrir coisas incríveis, vai entender um pouco de como um simples vidro de perfume vira um artigo de luxo em tempos de guerra, a briga na justiça por algo que tempos antes Coco abriu mão e mais tarde quer novamente, suas paixões, amores e dessabores e muito mais. Acima de tudo, eu diria, que é a demonstração clara de algo que chamamos hoje de “um case de sucesso”, a visão que ela tinha a respeito do todo, de entender a importância do design do vidro, da tipografia utilizada, da caixa, do preço e claro do perfume…

Coco Chanel, como era chamada, tinha verdadeiramente uma visão empresarial à frente do seu tempo, um ideal de minimalismo e isso explica, de certa forma, o poder que este produto acabou ganhando, mesmo que não fosse exatamente uma novidade, afinal de contas o perfume na sua essência já existia.

Pesquisando por aí, encontrei na Livraria Cultura por R$ 39,50. Só digo mais uma coisa: leia, você não vai se arrepender e vai aprender muito!

Modelagem V Neck

Você certamente já deve ter visto por aí esta modelagem de calçado , mas não ligou o nome ao calçado, né?! Isso porque não é exatamente uma novidade, começou a aparecer em algumas temporadas atrás, como no inverno passado, e promete ser forte tendência nesta primavera/verão.

A modelagem v neck nada mais é que uma nova roupagem para o tão tradicional cabedal, que desta vez ganhou uma reformulação no seu design clássico, com um efeito decotado mais alto, ou seja, que esconde boa parte dos dedos e se aproxima cada vez mais do peito do pé em um decote em V.

Esta proposta de cabedal é vista em scarpins, modelos slingbacks (tipo chanel), sapatilhas e até em algumas sandálias.

Slide1

Dá só uma olhada nas inspirações:

Slide2

1. Scarpin com cabedal liso branco, decote em V, detalhe de tornozeleira e salto tipo kitten heel, da Amaro.

2. Scarpin com cabedal de efeito craquelado prateado, decote em V e salto alto fino, da Carmen Steffens.

3. Modelo Slingback em amarelo, de material acamurçado, cabedal com decote em V, parte traseira aberta e salto médio grosso, da Capodarte.

4. Sapatilha de cabedal liso na cor preta, em couro e com decote em V, da Schutz.

Independente da modelo de calçado que escolher com a modelagem V neck tenha certeza que irá conferir à sua produção uma imagem bem moderna e cheia de personalidade. Para montar seu look saiba que ficam interessantes peças com um corte mais tradicional, calças jeans de cortes retos, peças de alfaiataria coordenadas com outras peças básicas conferindo assim, como resultado final um look clean e cheio de informação de moda.

5 sites de moda incríveis que você precisa conhecer!

Quando se estuda ou se trabalha com moda é imprescindível estar antenado com o mundo que nos rodeia, ir com o tempo aprendendo a ampliar nosso repertório de referências. Isso, muitas vezes, se faz por meio de livros e também, hoje com uma variedade incrível que temos de bons sites, é possível encontrar uma quantidade infinita de informações de muita qualidade.

PicMonkey Collage

Portanto, hoje vou contar alguns sites que costumo consultar e acredito, sejam bastante relevantes para quem se interessa pelo assunto.

  • FFW: é um site em português com um rico acervo de imagens de todos os desfiles, de todas as semanas de moda,  revelando assim um informações de moda e tendências, principalmente.
  • ESME: é um site espanhol,  da Escola Superior de Moda Y Empresa, lá é possível encontrar um amplo conteúdo sobre tecidos, glossário de moda, estilos e muito mais. Ah… e dá até para baixar alguns livros! Vale muito conhecer!
  • IT FASHION: este site está disponível em inglês e espanhol, aqui o conteúdo explora de tudo um pouco, com um forte apelo para street wear, mas fala de tendências, marcas, designers, como são as aulas nas melhores escolas de moda pelo mundo, estilo, história, vídeos, dicas de leitura e muito mais. Este é um dos meus preferidos!
  • FRANCAL: este site é um pouco diferente dos demais, que citei acima, isso porque ele tem um visão mais empreendedora e corporativa. Foi criado inicialmente para ser uma forma de divulgar a maior feira de calçados do Brasil, a Francal, onde é possível conhecer todos os anos as tendências de moda, materiais e afins do mundo calçadista. No entanto, este site hoje é um portal gigante com muito conteúdo sobre calçados, com tudo que você puder imaginar.
  • VIRTUAL SHOE MUSEUM: este é um site fundamental de se conhecer para quem é fã de calçados. Quer saber sobre designer e design, história, estilo, marcas, materiais, curiosidades, assuntos insólitos que envolvam o tema? Aqui é o lugar perfeito! O site é em inglês, mas de fácil e rápida compreensão, cheio de imagens e textos bem práticos.

 

Cada site que indiquei aqui tem sua particularidade e seu ponto forte, todos são bastante diferentes entre si, no entanto vale um visitinha rápida para conhecer e seguramente, vai descobrir um monte de informações.

Que tal adesivo nos pés?

Olha que ideia boa: dois designers italianos desenvolveram uma espécie de palmilha adesiva para proteger os pés em situação em que você estará descalço, como por exemplo na praia ou na piscina e ainda, garante proteção de caminhadas em regiões com pedras.

slider1

A marca chama-se NakeFit e garante que é super prático de ser usado, protege os pés nos dias de calor e… nada de ficar pulando na areia quente, sem contar que evita a proliferação de fungos e bactérias nos pés.

19170b81cf474bfa050f0c57d0c85415

 

Para usar, segundo a NakeFit é bem fácil, basta remover a película e colar na sola dos pés.

Ficou curioso? Dá uma olhadinha no site oficial da NakeFit.

Minha experiência com modelagem – Parte 2

Lembra do post da semana passada? Contei sobre a primeira etapa para aprender modelagem de calçados e a importância de se empapelar certinho a fôrma do calçado.

Pois bem, depois de concluída essa etapa, vem a seguinte que é tão importante quanto. Ela se caracteriza essencialmente em aprender a fazer a marcação dos principais pontos de um calçado, etapa chamada de base referencial.

Para começar você vai precisar de:

  • Fôrma empapelada

  • Fita métrica

  • Lápis

Depois de já ter todo o aparato em mãos, separados é hora de mãos à obra, para ir descobrindo os principais pontos. Aqui eu poderia ficar explicando por horas, ponto a ponto, mas encontrei um vídeo que ilustra de maneira bem prática esse processo, veja só:

 

Não é tão difícil quanto parece em um primeiro momento, mas é questão de ir treinando, vá exercitando, veja o vídeo e pare quando achar necessário, vá assistindo em doses homeopáticas, que ao final tudo parecerá mais evidente para você.

 

E… o resultado será esse! Você poderá notar as marcações, perceber onde cada parte do “futuro” calçado terá que passar ou não e a partir disso é possível começar a construção de um modelagem específica que você desejar.

Não ficou claro para você de imediato? Não se acanhe, é assim mesmo, repita o processo quantas vezes achar que precisa até você entender tudinho, até porque modelagem é fruto de treino e repetição.

Exercite ao máximo, aos poucos você vai descobrindo! Não desista!

Semana que vem tem mais!

Minha experiência com modelagem de calçados

Aprender modelagem não é tarefa fácil, é algo que requer muita prática. Confesso que, aprendi (e sigo aprendendo) modelagem aos trancos e barrancos, porque nunca foi uma coisa lógica para mim, por mais que eu estudasse e me esforçasse nunca entendia de cara tudo.

Meu primeiro contato com modelagem foi quando estudei moda, mas todo o conteúdo do curso era voltado para vestuário. Até tive um aperitivo sobre modelagem de calçados por puro interesse meu e a professora me incentivou a explorar o assunto dando dicas, no entanto foi realmente uma breve experiência.

Mais tarde, há pouco tempo comecei a estudar e explorar mais o tema, assim percebo que como estudei modelagem de vestuário a introdução à modelagem de calçados foi razoável. Por outro lado, o assunto muda bastante, porque toda a modelagem é feita já na fôrma, há de se considerar a ideia das dimensões e tudo mais. Uma mescla de moulage? Pode ser, talvez!

Por isso, resolvi contar aqui esta etapa mais inicial e básica, assim sendo já deu para notar que não é fácil, mas com a ajuda de alguns vídeos, livros e esforço as coisas vão acontecendo.

Já pensou em fazer um bolo? Pois bem, para isso é necessário seguir alguns passos básicos, não é mesmo?! Então, de certa forma, aqui a história é parecida.

Para começar você vai precisar de:

  • uma fôrma (adequada ao que pretende desenvolver, sapatilha, com ou sem salto, bico fino, quadrado, redondo e numeração).

  • um rolo de fita crepe

  • lápis para fazer as marcações

  • tesoura

  • estilete

Com estes materiais em mãos faça o “empapelamento” da fôrma, que nada mais é que revestir a fôrma com a fita crepe, mas faça isso apenas na metade externa (imagine a parte de fora do pé) e com pedaços pequenos de fita crepe sobrepostos.

Observe as imagens para compreender melhor como é feita esta etapa. Neste caso optei por forrar uma fôrma para sapatilha de bico fino número 35 e pé esquerdo.

Enquanto estiver fazendo o “empapelamento” é importante que os pedaços de fita crepe fiquem sobrepostos e bem esticados, evitando assim, o surgimento de bolhas, já que após serem marcados os pontos básicos (próximo post), começará a nascer o cabedal da sapatilha. Portanto, é indispensável que esta etapa seja feita cuidadosamente!

Gostou do assunto?

 Semana que vem tem mais hein?! Não perca!

Ousando no metalizado!

É… não tem como negar, o metalizado está realmente por todos os lados, cada vez mais temos tido mais opções de modelos com este tipo de acabamento, tanto fosco quanto ao estilo specchio (vulgo: brilho intenso, reflexo de espelho!).

Fato é: os metalizados tiram do marasmo qualquer look e dão aquele up.

A inspiração do dia não é nada mais, nada menos que um modelo da famosa Jimmy Choo. O design do calçado se destaca por trazer referências do clássico d’orsay e ao mesmo tempo das ankle boots. Assim, o resultado final se destaca por ser um calçado com pitadas mais modernas e contemporâneas, deixando toda a produção sofisticada, mas também bem fashionista.

Ondinha Fluffy

Não faz muito tempo falei aqui da coleção de chinelos de pelinhos, da Puma criada pela Rihana. Lembra?

Pois é, nessa vibe mais setentinha das coleções outono/inverno, essa coisa do ” não passar discretamente por aí!”, parece estar reinando na moda, ou seja, as marcas investem em modelos clássicos também, entretanto tem muitos modelos de calçados que se destacam por conta da autenticidade.

Assim, essa tendências fluffy, que traz à tona aquela coisa do “fofinho”, que já temos visto por aí em casacos, agora promete causar nos calçados, tirando qualquer possibilidade de ser óbvio, no mais básico dos looks.

A adição de detalhes com pelinhos, seja na parte interna do calçado, como se destacou o modelo de mule da Dolce & Gabbana, como na parte frontal de sandálias como as Alaïa, Steve Maden e chinelos Puma transformam completamente a produção, dando um ar de ousadia.

Que tal usaria? Conta aqui!