Minha experiência com modelagem de calçados

Aprender modelagem não é tarefa fácil, é algo que requer muita prática. Confesso que, aprendi (e sigo aprendendo) modelagem aos trancos e barrancos, porque nunca foi uma coisa lógica para mim, por mais que eu estudasse e me esforçasse nunca entendia de cara tudo.

Meu primeiro contato com modelagem foi quando estudei moda, mas todo o conteúdo do curso era voltado para vestuário. Até tive um aperitivo sobre modelagem de calçados por puro interesse meu e a professora me incentivou a explorar o assunto dando dicas, no entanto foi realmente uma breve experiência.

Mais tarde, há pouco tempo comecei a estudar e explorar mais o tema, assim percebo que como estudei modelagem de vestuário a introdução à modelagem de calçados foi razoável. Por outro lado, o assunto muda bastante, porque toda a modelagem é feita já na fôrma, há de se considerar a ideia das dimensões e tudo mais. Uma mescla de moulage? Pode ser, talvez!

Por isso, resolvi contar aqui esta etapa mais inicial e básica, assim sendo já deu para notar que não é fácil, mas com a ajuda de alguns vídeos, livros e esforço as coisas vão acontecendo.

Já pensou em fazer um bolo? Pois bem, para isso é necessário seguir alguns passos básicos, não é mesmo?! Então, de certa forma, aqui a história é parecida.

Para começar você vai precisar de:

  • uma fôrma (adequada ao que pretende desenvolver, sapatilha, com ou sem salto, bico fino, quadrado, redondo e numeração).

  • um rolo de fita crepe

  • lápis para fazer as marcações

  • tesoura

  • estilete

Com estes materiais em mãos faça o “empapelamento” da fôrma, que nada mais é que revestir a fôrma com a fita crepe, mas faça isso apenas na metade externa (imagine a parte de fora do pé) e com pedaços pequenos de fita crepe sobrepostos.

Observe as imagens para compreender melhor como é feita esta etapa. Neste caso optei por forrar uma fôrma para sapatilha de bico fino número 35 e pé esquerdo.

Enquanto estiver fazendo o “empapelamento” é importante que os pedaços de fita crepe fiquem sobrepostos e bem esticados, evitando assim, o surgimento de bolhas, já que após serem marcados os pontos básicos (próximo post), começará a nascer o cabedal da sapatilha. Portanto, é indispensável que esta etapa seja feita cuidadosamente!

Gostou do assunto?

 Semana que vem tem mais hein?! Não perca!

3 comentários em “Minha experiência com modelagem de calçados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s