Ficha técnica

Nessa semana de comemoração de aniversário pelos 2 do blog, estamos voltando a programação normal. E com isso, também, retomamos os posts semanais sobre a rotina profissional de um designer de calçados. No último post de “Sapato é coisa séria!” falei aqui sobre a importância dos testes de modelagem.

Portanto agora, após esta etapa de testes e ajustes já estar concluída, é hora de dar continuidade ao desenvolvimento e planejamento da sua coleção. Nesta altura você já percebeu eventuais erros e fez as correções necessárias para dar um correto andamento ao seu projeto.

 Idealização do calçado em linhas gerais, para mais tarde ser desenvolvida a ficha técnica com todas as especificações.

A partir deste momento você terá que desenvolver a ficha técnica, ou seja, o documento onde você irá descrever passo a passo, tudo que envolverá construir o calçado e todos os outros modelos, dentro de uma coleção, contendo desde informações super específicas (enfeites, acabamentos especiais etc) até as características gerais (tipo de calçado, numeração, grade entre outros). É necessário também, ter junto à ficha técnica um desenho técnico do calçado (isso é: o contorno), para que a equipe de produção tenha uma ideia mais realística de como a equipe de design quer o resultado final.

 Exemplo de ficha técnica

É indispensável tudo estar bem descrito na ficha técnica e vale ressaltar, em uma linguagem de fácil compreensão, sem uso de terminologia muito técnica ou palavras em outro idioma.

Por que falo isso? O motivo é que muitas vezes nas fábricas as pessoas responsáveis pela construção dos calçados são pessoas que não tiveram oportunidade de grandes instruções, no entanto são pessoas com um conhecimento prático incrível, com uma facilidade de solucionar problemas práticos de maneira rápida e intuitiva. Então, é importante valorizarmos o trabalho destas pessoas que tem um conhecimento único e fundamental para a fabricação do calçado! Assim, sendo é fundamental usar uma linguagem fácil, para que essas pessoas sintam-se reconhecidas e valorizadas também.

A ficha técnica irá para a linha de produção, então isso deverá sempre ser impresso e ter outra reserva em aquivo (word, pdf etc) para qualquer eventual perda ser fácil de conseguir uma nova cópia.

O que deve conter na ficha técnica geralmente:

  • Fabricante

  • Contato

  • Tipo de construção

  • Número da ficha

  • Desenho técnico da peça

  • Descrição sobre cores e materiais

  • Observações (informações que serão detalhes bem pontuais, entretanto relevantes na hora da montagem do calçado)

Sobre o desenho

Cada designer desenvolve uma maneira de trabalho, ou seja, quando um designer trabalha de maneira autoral, muitas vezes os desenhos são feitos manualmente, e colocados na ficha técnica deste modo. Mas lembre-se: cada caso é um caso! Isso não significa verdade absoluta.

Já dentro da indústria calçadista, quase em sua maioria, os designers e equipes de designers desenvolvem os desenhos das coleções através de softwares e isso mais tarde, será colocado na ficha técnica.

 Neste exemplo de ficha é possível notar:

  • croqui: que é a forma ilustrada de demostrar como o produto ficará.

  • Desenho técnico: o mesmo desenho apenas em contornos, em preto e branco

  • Todas as especificações técnicas como: materiais, dimensões e quantidades das peças, tipos de acabamentos entre outras tantas informações fundamentais.

  • Ao lado a “descrição das etapas”, onde é possível perceber todos os moldes a serem utilizados e as explicações sobre a construção do artefato.

Em conclusão sobre esta etapa vale ressaltar: deve conter ter todas as informações, para que durante o caminho da construção do calçado nada seja perdido ou passe batido, tudo deve ser descrito e explicado. Porém, as fichas técnicas devem ter informações sucintas e um visual limpo, fácil de ser entendido.

Considere também: designer ou equipe de designers, independente de trabalharem de modo autoral ou em uma indústria, cada local desenvolve sua metodologia e identidade de criação da ficha técnica, portanto elas, podem sim apresentar diferenças. Mas, devem obrigatoriamente, conter as informações básicas que citei acima, variando apenas em linguagem, identidade e formatação.

Ficou em dúvida sobre algo? Escreve aqui?

Um comentário em “Ficha técnica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s