Cartela de Materiais – Parte 1

No post da semana passada, do “Sapato é coisa séria!” falei sobre a cartela de cores, da importância de pesquisar e analisar bem a escolha das cores e como funciona toda essa etapa.
Pois bem, hoje falamos aqui sobre a cartela de materiais. Na realidade cartela de cores e cartela de materiais, é uma parte do planejamento de uma coleção de calçados, que funcionam juntas, uma depende da outra.

 

Aqui você talvez se pergunte: como assim? A resposta: a questão é que quando você esta criando uma coleção, analisando todo o desenvolvimento do produto, várias coisas são levadas em consideração (painel de inspiração e público alvo), informações que já comentei em outros posts desta série. Mas, fato é que quando se pensa em cores, não há como pensar isoladamente, é necessário pensar automaticamente em que material ela está disponível. Por isso, a quase obrigatoriedade de se analisar estas etapas juntas

Exemplo de mostruário de materiais e cores disponíveis.

Quando certas cores estão em alta, ditas em tendência, naturalmente será mais fácil encontrar à disposição um maior número de materiais, até porque indústrias que trabalham com desenvolvimento de coleções em grande escala querem atingir seus respectivos públicos alvo, com a informação fresca das tendências.
Já no caso de designers que se destacam por um trabalho autoral, muitas vezes precisam avaliar suas escolhas mais cuidadosamente, pois nem sempre encontrará aquilo que procura, pensando assim, em outras alternativas para aquele calçado. Vale dizer também, que materiais em determinadas cores, que não sejam a tendência da estação, por exemplo, possivelmente custarão mais caro. Portanto, isso irá se refletir em todo o contexto da coleção, porque um calçado produzido diante de um conceito mais específico, privilegiando o trabalho autoral e com um material diferenciado, consequentemente terá que ter seu custo final repassado para o consumidor.
Outro fator importante na escolha dos materiais, além das tendências de cores, é o conhecimento a respeito das tendências sobre todos os componentes, como solados, palmilhas, saltos, talão, adereços, reforços internos e aviamentos. Tudo isso entra na lista de materiais, onde você terá que detalhar na ficha técnica do calçado para posteriormente, ir para a linha de produção.
É fundamental você conhecer bem seu público, saber quais são as expectativas de consumo dos calçados e como costuma consumir. Você precisa ter isso muito claro, quanto mais conhecer melhor, garantindo maior segurança sobre essa relação.
Sabendo assim, que seu público alvo usará ou não calçados feitos de couro, por exemplo. Muitas vezes o público alvo, faz questão de um calçado de couro, isso irá certificar maior garantia para quem os consome. Por outro lado, se seu público for vegan, certamente preferirá algo mais ecológico e consciente, um material que não seja de origem animal, tecidos por exemplo. Ou um público que gosta do upcycling e por aí vai…
Tudo deverá ter uma co-relação com as expectativas e desejos, valores subjetivos (mais adiante falarei sobre semiótica) buscados pelo seu público alvo, que vão além das necessidades reais. Lembre disso!
Por hoje é só pessoal!!!
Semana que vem tem mais sobre materiais, não percam!!

2 comentários em “Cartela de Materiais – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s